7 Dicas imperdíveis para curtir Lisboa!

Compartilhe!

Conhecida como a Cidade das 7 Colinas, Lisboa carrega em sua alma a poesia dos portugueses. Seja na perfeita gramática portuguesa, seja no fado ou nos antigos trovadores, a alma de Lisboa segue lírica. Um café no Chiado, um fado no Alfama, uma carona em um eléctrico, um pastel em Belém – são tantas as opções que a gente precisa de um guia básico pra curtir o melhor de Lisboa.

E por isso quem hoje deixa 7 dicas imperdíveis pra curtir Lisboa é a portuguesa/brasileira Yolanda Hinz-Coimbra, uma apaixonada pela Cidade Branca! Nada mais justo para alguém que admira a alma lisboeta pra cumprir essa missão!

_________________________________________________________

Dica 1 – Baixa

Andar pelo Rossio, Praça da Figueira, Praça do Comércio e ruas do centro (Rua Augusta, Rua do Ouro, Rua da Prata, Elevador de Santa Justa, etc). No Rossio, a Confeitaria Suíça é antiga, tradicional. Na Praça da Figueira a Confeitaria Nacional, a meu ver, é muito mais interessante do que a Suíça.

A Praça da Figueira e a estátua de Dom João I, construída em 1971.

A Praça da Figueira e a estátua de Dom João I, construída em 1971.

Na Praça do Comércio, ao lado do centro de informações turísticas há o Lisboa Story Center – visitar a exposição permanente sobre a historia da cidade desde a sua formação até a Revolução dos Cravos, inclusive com uma simulação do terramoto de 1755 que destruiu a cidade quase totalmente. Esse espaço é muito pouco divulgado, mas vale a pena. Comprar o ticket combinado, para poder subir ao Arco da Rua Augusta (8 Euros).

Subir até o Chiado pela Rua Garret, passar no Café A Brasileira (sem site), onde se encontra a estátua de Fernando Pessoa, aí tomar um café ou, melhor ainda, dar uma parada na sorveteria Amorino. Imperdível! Ver no Facebook!

Caminhar até a praça do Mosteiro do Carmo. Ao lado, meio escondido, se encontra a parte superior do elevador de Santa Justa. Ir até lá para se ver a vista linda da baixa, Rossio e Castelo. Acho que não vale a pena usar o elevador, sempre tem filas grandes. Melhor subir no Arco da Rua Augusta.

Bem perto, no Largo Trindade Coelho, ver a Igreja São Roque, considerada uma das mais bonitas e importantes de Lisboa. No terramoto de 1755 não foi destruída!

Andar até o Bairro Alto, caminhar pelas ruelas.

A vista do alto do Elevador de Santa Justa - o Castelo de São Jorge no horizonte.

A vista do alto do Elevador de Santa Justa – o Castelo de São Jorge no horizonte.

Dica 2 – Pegar o Elétrico 28 – Estrela-Graça.

O melhor ponto para pegar é uma estação acima da Praça Camões, no Chiado. Aí se tem a chance do elétrico ainda não estar muito cheio. Se possível, pegar os primeiros lugares da frente. Cuidado com as bolsas!

Ir até o ponto final, que é na Graça ou seja, fazer no sentido da Estrela –Graça. Na Graça, ir até o bairro Vila Berta. É na verdade só uma rua, mas as casas são de arquitetura bem diferente do que se vê em Lisboa.

O Eléctrico 28, o bondinho mais famoso de Lisboa tem um trajeto que é quase um city tour!

O Eléctrico 28, o bondinho mais famoso de Lisboa tem um trajeto que é quase um city tour!

Seguir ate á Igreja da Nossa Senhora do Monte. Aí há um miradouro, um dos mais bonitos de Lisboa, e o ponto mais alto da cidade, de onde se tem uma vista de quase 180°, se vê não só a parte antiga como a nova de Lisboa.

Voltar até ao ponto aonde o elétrico passa e continuar andando até chegar ao Miradouro da Graça e Igreja da Graça. Por detrás do Miradouro fica um mosteiro agostiniano, fundado em 1271 e reconstruído depois do terramoto.

Ir sempre descendo e subindo até chegar ao Castelo de São Jorge. A caminho do Castelo, indo pela rua Encosta do Castelo, fazer uma pausa no restaurante Zambeze. De novo um terraço com vista magnífica sobre a cidade. O serviço deste restaurante deixa muito a desejar, mas vale dar aí uma parada para tomar um refresco e reabastecer as energias.

A esplanada do Restaurante Zambeze - vale dar aí uma parada para tomar um refresco e reabastecer as energias. (Foto: Zambeze Restaurante.)

A esplanada do Restaurante Zambeze – vale dar aí uma parada para tomar um refresco e reabastecer as energias. (Foto: Zambeze Restaurante.)

A partir daí subir até o Castelo de São Jorge, andando pelas ruas e ruelas da Mouraria. Tem que se pagar para entrar nas muralhas do castelo (8,50 Euros por pessoa. Há descontos para famílias e grupos). Pessoalmente não acho que vale a pena, pois à parte da vista que se tem (o que já se aproveitou passando pelos diferentes Miradouros), não há muito a ver.

Seguir até o Miradouro de Santa Luzia, que já é na Mouraria. Apreciar os antigos e históricos azulejos. Ir descendo à Mouraria, passar na Igreja da Sé. Continuar descendo até chegar à Baixa.

Dica 03 – Belém

Visitar o Mosteiro de Jerónimos, a Torre de Belém (vale a pena pagar entrada e visitar por dentro). Compre o ingresso para as duas atrações no primeiro monumento que visitar, isso evita ter que entrar de novo em filas.

Ir à pastelaria dos famosos Pasteis de Belém. Evitar as horas de muito movimento. A confeitaria está sempre muito cheia, mas há varias salas mais para dentro da pastelaria.Os azulejos são uma preciosidade.

Clique aqui para conhecer mais sobre os Pastéis de Belém.

Os famosos Pastéis de Belém - marca registrada do bairro e receita guardada a sete chaves!

Os famosos Pastéis de Belém – marca registrada do bairro e receita guardada a sete chaves!

Dica 04 – Cais Sodré-Cascais

Programa de 1 dia inteiro: Sair logo pela manha e pegar o comboio (trem) até Cascais. A parte mais nobre de Lisboa é a Linha do Estoril.

Visitar a parte antiga e ir ate a Prainha da Rainha, vista bonita de Cascais e do Estoril. Tem muito bons restaurantes na linha toda a partir de Paço d’Arcos e alguns na marginal com bela vista para o mar.

Bicicletas em Cascais

Outra dica para passar 1 dia em Cascais para quem gosta de um pouco de atividade física – A prefeitura de Cascais coloca à disposição bicicletas grátis chamadas biCas. Pontos de aluguel: em frente à estação de comboio de Cascais – caso aí já estejam esgotadas, pegar um ônibus em frente à estação e ir até a Guia, onde tem um outro ponto de aluguel. A devolução terá que ser feita no mesmo ponto aonde foi alugada. É necessário um documento de identidade com foto. Confira mais clicando aqui!

Fazer o percurso de quase 9 Km de Cascais até o Guincho, passando pela Guia parar para um café ou lanche na Casa da Guia (espaço aberto com lojas e cafés com vista deslumbrante). Aproveite para conhecer o Bar do Guincho, uma ótima opção que tá super na moda em Cascais!

A Linha do Estoril, a parte mais nobre da costa próxima à Lisboa é recheada de bons restaurantes com essa vista pra lá de espetacular!

A Linha do Estoril, a parte mais nobre da costa próxima à Lisboa é recheada de bons restaurantes com essa vista pra lá de espetacular!

Dica 05 – Conhecer Sintra

De Cascais, em frente ao shopping, pegar o ônibus 403 e ir até Sintra.

Horários: a partir das 10h10, de hora em hora. Antes de fazer este programa, olhar os horários na internet.

O ônibus passa pelo Cabo da Roca, Malveira da Serra e Colares. Belo passeio. Se quiserem descer no Cabo da Roca, ponto mais ocidental da Europa continental, terão que esperar o próximo ônibus, que passa uma hora depois.

O Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa continental - é daqui direto pra América!

O Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa continental – é daqui direto pra América!

Visitar em Sintra: Castelo dos Mouros, Palácio Nacional da Pena, Palácio Nacional de Sintra e Quinta da Regaleira. Visitando a Quinta da Regaleira é indispensável pegar um guia. Só com a ajuda de um guia se entende e apercebe todo o misticismo que envolve a construção desse palácio. (ver horários de guias).

Não deixar de ir ao Café Piriquita (sem site), Rua das  Padarias, no centro de Sintra para provar as famosas queijadinhas e travesseiros de Sintra. Não se assustem com as filas, vale a pena esperar por uma mesa.

A volta fazer de comboio (trem), e a chegada é na Estação do Rossio, ou seja, no centro da baixa de Lisboa. Esse percurso é pelos bairros do subúrbio lisboeta – o lado feio de Lisboa.

O Palácio da Pena repousa no alto de uma das colinas de Sintra - influências árabes por todo o lugar!

O Palácio da Pena repousa no alto de uma das colinas de Sintra – influências árabes por todo o lugar!

Dica 06 – Ouvir um bom fado e passear pela Alfama

Para escutar fados, eu sugiro, na Alfama:

Coração de Alfama

Fica perto do Largo do Chafariz (bem no coração da Alfama). Acho que começam a cantar por volta das 20 horas. Quase todos os lugares de fado cobram consumação mínima, por isso acho melhor ir para jantar. Essa casa tem preços corretos. Eu gostei bastante.

Coração de Alfama – (35) 1-21-886-5491
De terça a domingo, das 12h às 24h
Travessa Terreiro do trigo, n°8 – Alfama

São Miguel d’Alfama

Outro lugar seria o Restaurante São Miguel d’Alfama. Essa casa é mais simples e os cantores são amadores.

São Miguel d’Alfama (sem site) – (35) 1-21-887-0193
De terça a domingo, das 19h às 24h
Rua de São Miguel, n°9 – Alfama

Acho muito legal caminhar a noite pelo bairro. A partir destes endereços, se estiverem com vontade de caminhar, procurar pela Praça e Igreja São Estevão… É um lugar bem Alfama e visto na calma da noite tem outra beleza.

O fado! Ahhh, o fado! Ele está pelas ruas de Lisboa!

O fado! Ahhh, o fado! Ele está pelas ruas de Lisboa!

Dica 07 – Comprar um cartão de transporte!

Comprar nas estações de metro ou de trem um cartão que é valido em todos os transportes públicos – ônibus, elétricos, metro, trem para Cascais (excepto para a linha de Sintra). Comprar 1 cartão por pessoa. O cartão pode ser sempre recarregado. Não esquecer de validar o cartão, senão sujeito a pagar multa!

Veja este site, excelente dicas:

http://www.lisbonlux.com/magazine/trendy-lisbon-the-10-cool-places-of-the-moment/

_________________________________________________________

Yolanda Hinz-Coimbra – Yoko, Landa, Yoli ou Yola – é filha de pai português e mãe moçambicana, nascida em Lourenço Marques (Maputo). Morou muitos anos no Rio de Janeiro e se sente verdadeiramente carioca, pois o Brasil é o país que mais se identifica. Casada com um alemão, já faz alguns anos que mora em Berlin, anteriormente em Evian-les-Bain (França) e Frankfurt. E o mundo pra ela? Ah, nem parece tão grande – quando criança Yoko sonhava ser comissária de bordo – e assim o foi quando adulta – por 31 anos ela trabalhou pra Lufthansa. Viajou o mundo e é cheia de dicas imperdíveis!

Deixamos uma pequena tabelinha para facilitar a sua vida em Portugal com algumas diferenças entre o português do Brasil e o português de Portugal. Não deixe de conferir!

Reserve aqui o seu hotel em Lisboa.

Clique aqui para ler mais sobre Lisboa, a Cidade das 7 Colinas.

E quanto a você, leitor viajante, não deixe de compartilhar suas dicas e histórias de viagens pelo mundo! Escreva para o Bilhete Premiado e deixe a sua marca!

Tá difícil entender? A gente facilita as coisas! Uma tabelinha pra não passar aperto na hora de traduzir o português de Portugal para o português do Brasil!

Tá difícil entender? A gente facilita as coisas! Uma tabelinha pra não passar aperto na hora de traduzir o português de Portugal para o português do Brasil!

Uma das milhões de escadarias que se formam entre as ruelas de Lisboa - outra marca registrada da cidade!

Uma das milhões de escadarias que se formam entre as ruelas de Lisboa – outra marca registrada da cidade!

O Arco da Rua Augusta iluminado a noite - uma marca do Marquês de Pombal.

O Arco da Rua Augusta iluminado a noite – uma marca do Marquês de Pombal.

Detalhes do Cabo da Roca - "onde a terra se acaba e o mar começa".

Detalhes do Cabo da Roca – “onde a terra se acaba e o mar começa”.

Detalhes do interior do Castelo dos Mouros, um dos pontos imperdíveis de Sintra.

Detalhes do interior do Castelo dos Mouros, um dos pontos imperdíveis de Sintra.

O Palácio da Pena repousa no alto de uma das colinas de Sintra - influências árabes permeiam o lugar todo!

O Palácio da Pena repousa no alto de uma das colinas de Sintra – influências árabes permeiam o lugar todo!

A Torre de Belém - foi ela que deu nome ao bairro e aos pasteis.

A Torre de Belém – foi ela que deu nome ao bairro e aos pasteis.

O Padrão dos Descobrimentos, monumento feito em homenagem às caravelas que saíram do Brasil rumo à Índia e encontraram as Américas!

O Padrão dos Descobrimentos, monumento feito em homenagem às caravelas que saíram do Brasil rumo à Índia e encontraram as Américas!

Detalhe de um dos azulejos na pastelaria - marca registrada de Portugal.

Detalhe de um dos azulejos na pastelaria – marca registrada de Portugal.

Show Buttons
Hide Buttons
%d bloggers like this: