A viagem ao Salar de Uyuni – dicas e considerações – post 3

Compartilhe!

Publicamos dois posts sobre o Deserto de Sal da Bolívia escritos pela leitora Natália Rezende (informações básicas e dia-a-dia). Ela deixa mais um com 16 informações importantíssimas que você precisa saber antes de viajar!

Não fique sem ler e destrinchar a viagem ao Salar de Uyuni – dicas e considerações úteis feitas pra que você tenha o melhor da sua viagem naquele lugar espetacular!


Abaixo, seguem algumas dicas e informações importantes para serem consideradas na sua viagem ao Salar de Uyuni:

1. Procure se vestir em camadas, pois a amplitude térmica é bem alta.

2. Leve corta vento, saco de dormir e muita proteção para o frio.

3. Pense e pesquise com antecedência as fotos que poderá tirar no Salar. Parece besteira, mas uma das coisas mais legais são as fotos em perspectiva. Uma rápida pesquisa no google dá pra achar bastante inspiração. Pense em objetos para utilizar. Eu não tinha pensando em nada, quando cheguei lá fiquei totalmente sem ideia. É bom dar uma praticada também, pois ajustar o foco é mais difícil do que parece.

Tentativa frustrada de uma foto legal em perspectiva. (Foto: Kim Merritt.)

Tentativa frustrada de uma foto legal em perspectiva. (Foto: Kim Merritt.)

4. Leve água e comida para lanches, pois o intervalo entre as refeições é grande. E também é importante caso não te agrade a comida oferecida. Existem pouquíssimas opções no caminho para comprar comida e bebida.

5. Leve hidrante labial, hidratante de corpo, hidratante de rosto, bepantol. Enfim, produtos para combater a secura.

6. Separe em uma bolsa pequena tudo que possa precisar para levar consigo dentro no veículo, pois a mala vai em cima do carro.

7. Se você também for visitar o Atacama, sugiro fazer o passeio para o Salar por último. Isso porque as paisagens são tão lindas, mas tão lindas, que você pode correr o risco de achar o Atacama sem graça. O que não é! Além disso, é bom pra ir se acostumando com a altitude, que na Bolívia é maior.

8. Falando em altitude, os efeitos colaterais mais comuns incluem dor de cabeça, sono, tontura, cansaço, vontade de urinar. Evite fazer movimentos bruscos. Eu senti com mais intensidade os dois últimos, o que é bem tenso, considerando que o banheiro durante o dia é a própria natureza.

Perdida do meio da paisagem, indo utilizar o banheiro. (Foto: Natália Rezende.)

Perdida do meio da paisagem, indo utilizar o banheiro. (Foto: Natália Rezende.)

9. Por isso, leve papel higiênico e uma sacola pra guardar o papel usado (pra jogar fora depois, na primeira oportunidade). Antisséptico para lavar as mãos também é importante e lenços umedecidos, caso queira amenizar a ausência de banho do primeiro dia.

10. Para aliviar os sintomas da altitude, as pessoas costumam mascar folha de coca. E não é que ajuda mesmo! Você encontra em mercado ou em feirinhas para vender. Já não senti diferença com a bala de coca, mas vale a pena tentar.

11. Considerando as condições dos “banheiros”, hoje percebo a importância de se levar um remédio para conter o intestino em caso de algum revertério.

12. É necessário trocar alguns bolivianos para pagar a entrada do Parque Eduardo Avaroa e do acesso à Ilha dos Pescadores, os poucos banheiros ao longo do caminho, a ducha quente nos alojamentos, algum artesanato, etc. Pergunte a agência o valor que eles sugerem. Infelizmente, o câmbio em San Pedro é péssimo, tanto para comprar pesos bolivianos quanto para pesos chilenos. Se tiver oportunidade de trocar em outra cidade, recomendo.

Outra tentativa frustrada de tirar uma foto bacana. (Foto: Natália Rezende.)

Outra tentativa frustrada de tirar uma foto bacana. (Foto: Natália Rezende.)

13. Faça economia de bateria no primeiro dia, pois a energia elétrica é limitada a 2 horas e só existe uma tomada por quarto, o que acaba sendo bem útil levar um “T”.

15. Guarde o ingresso do Parque Eduardo Avaroa, pois em um outro momento eles pedem pra apresentar novamente. Uma das pessoas que estava com a gente jogou fora e o motorista teve que fazer um acordo com o guarda do parque. É bom evitar!

15. Verifique a necessidade de apresentar o Certificado Internacional de Vacinação contra a febre amarela. Quando fui, a Bolívia exigia, apesar de não terem cobrado na fronteira. Parece que agora não é mais obrigatório, apenas recomendado, essa informação consta no site da Organização Mundial da Saúde (Para mais informações sobre como fazer sua carteira de vacinação internacional, confira este link).

16. E, por último, vá desprovido de qualquer apego a luxo, conforto, tecnologia, vaidade, etc. Assim sua viagem será maravilhosa. E não se assuste, é um perrengue bastante agradável!!


Natália é apaixonada por viagens e já conheceu alguns destinos inusitados. Já carimbou o passaporte na Polônia, no Japão, na Sérvia, na Bulgária e em mais 23 países. Sempre que volta de alguma viagem tem vontade de escrever e compartilhar suas dicas – estamos na torcida pra que ela divida mais dessas dicas preciosas com a gente!

Clique aqui para ler o primeiro post sobre o Salar de Uyuni, contendo as informações mais básicas sobre a viagem.

Clique aqui para ler o segundo post sobre o Salar de Uyuni, explicando o dia-a-dia da viagem.

E quanto a você, leitor viajante, não deixe de compartilhar suas dicas e histórias de viagens pelo mundo! Escreva para o Bilhete Premiado e deixe a sua marca!

Show Buttons
Hide Buttons
%d bloggers like this: