Chiquita Bacana lá da Martinica

Compartilhe!

Por um tempo, a Martinica era pra mim apenas lembranças de antigas marchinhas de carnaval! A Chiquita Bacana e a famosa casca de banana nanica sempre estiveram presente nas minhas memórias de criança.

Mas foi até que resolvi planejar uma viagem para o sudeste do Caribe e tudo mudou! A ilha da Martinica, um território ultramarino da França, é um espetáculo só! E entendi também o porque ela é um sonho de verão dos franceses. Quer saber mais? Invista um pouquinho do seu tempo aqui no Bilhete Premiado pra descobrir sobre esse incrível destino franco-caribenho!

Um pôr-do-sol em Martinica para emoldurar!

Um pôr-do-sol em Martinica para emoldurar!

La Martinique

É assim que os franceses chamam a Ilha da Martinica. Afinal, além de ser França, fala-se francês e gasta-se em Euros – sim, esteja preparado!

A presença da França é percebida por todos os lados. Bandeiras da França estão por todas as partes, ao lado da bandeira da União Europeia. Os prédios públicos tem a cara da França. E, claro, o idioma. Além disso, é muito raro encontrar alguém que fale fluentemente o inglês! Pra quem não fala francês, a comunicação será na linguagem gestual – mas tudo é entendível! #SomosTodosLatinos

Prefecture de La Martinique! Seja bem-vindo à França!

Prefecture de La Martinique! Seja bem-vindo à França!

Desvendando a Ilha da Martinica

Não se engane! A ilha é grande e é ocupada de norte a sul! A capital, Fort-de-France, fica bem no meio da Martinica, mas para turistas, é desinteressante. As melhores áreas são ao sul, com praias que tem a cara do Caribe, água clara, areia clara e descanso. Já ao norte, com a famosa St. Pierre, cidade que já foi a maior das índias ocidentais e que foi destruída pelo vulcão Mt. Pelée, em 1902. Por fim, o oeste da ilha, com paisagens mais inóspitas, um parque interessante e até ondas pra quem se animar a surfar.

Pra facilitar a exploração da ilha, deixo duas dicas, sendo uma obrigatória (aluguel de carro) e a outra opcional (dividir a estada entre o norte e o sul da ilha)!

Fort-de-France, a capital e maior cidade da Martinica - turista, só de passagem!

Fort-de-France, a capital e maior cidade da Martinica – turista, só de passagem!

Levo Dólar ou levo Euro?

Euro. Definitivamente. Assim como poucas pessoas falam inglês, poucos estabelecimentos aceitam dólares. E a conversão é ruim pro turista.

Além disso, a única casa de câmbio fora do aeroporto fica no centro de Fort-de-France. Se os seus Euros acabarem, você será obrigado a fazer câmbio de qualquer maneira. Não tenha dúvidas, compre Euros no Brasil.

Dirigindo na Martinica

Alugar carro é obrigatório. As distâncias podem até não serem grandes, mas a ilha é um pra sempre sobe e desce cheio de curvas – acredite – vai demorar. Além disso, a Martinica é a ilha das rotatórias – quase não tem sinal, mas há rotatórias em todas as estradas e isso causa muita retenção no trânsito.

Fora isso, não há mistério. Quem já dirigiu na Europa dirige na Martinica sem nenhum problema. Todas as sinalizações de trânsito são iguais às europeias.

Fique atento a apenas um detalhe – de manhã cedo toda a ilha segue em direção à Fort-de-France e, final de tarde, sentidos sul, norte e oeste. Se puder, evite essas rotas pra fugir do trânsito e não ficar preso no carro por besteira!

Rodovia de Martinica - pista única, muitas curvas e baixa velocidade média dos carros. Seja paciente, vai demorar!

Rodovia de Martinica – pista única, muitas curvas e baixa velocidade média dos carros. Seja paciente, vai demorar!

Tributação na Martinica

Poucos turistas se atentam a isso, mas a tributação na Martinica é bem menor do que na França territorial. Enquanto na Europa incide 20% de IVA sobre o consumo, na Martinica o imposto é de apenas 8%. A ideia é estimular o consumo e movimentar a economia, que não é tão forte como na Europa.

Ao fim e ao cabo, as mercadorias oriundas da França ficam com um preço similar, porque há o custo do transporte marítimo até a ilha, o que acaba por deixar elas por elas. De qualquer forma, é um ótimo lugar pra fazer compras como se estivesse na Europa!

Uma típica boulangeria francesa na Martinica - o Caribe como você nunca viu! E a ótimos preços!

Uma típica boulangeria francesa na Martinica – o Caribe como você nunca viu! E a ótimos preços!

Supermercados

Os supermercados são uma atração à parte. Muitos produtos franceses a preços extremamente atrativos (principalmente se comparados aos preços do Brasil…). Tem de tudo o que você imaginar! Queijo brie e camembert por, em média, 3,00 Euros. Biscoitos amanteigados da bretanha, vinhos de Bordeaux e, pasme! Champagnes a preços impensáveis no Brasil – vi até um de 13,00 Euros!

Só fique esperto pra não se deslumbrar em um supermercado e perder o melhor da Martinica, as praias!

Aliás, com o preço competitivo e a presença abundante de produtos franceses, pode ser uma boa aproveitar pra fazer compras e fazer o próprio jantar!

Made in France - mas exportado para a Martinica!

Made in France – mas exportado para a Martinica!

Farmácias

Aproveite! Você está na França! É possível comprar itens da Provence por bons preços (melhores que no Brasil, mesmo com o câmbio em Euro). Os preços conseguem rivalizar com aqueles comprados na França territorial e são bem mais baratos que no Brasil. Há L’Occitane, La Roche-Posay, Roc, Vichy e várias outras marcas famosas.

Onde se hospedar na Ilha da Martinica!

Definitivamente, você não vai querer ficar em Fort-de-France. É grande, tumultuada e sem praias bonitas pra aproveitar. A melhor hospedagem para os turistas se concentra no sul da ilha, mas pode ser que você queira passar uma ou duas noites no norte, pra conhecer St. Pierre. Te explico!

As praias mais bonitas e mais tranquilas estão no sul da ilha. A campeã é a Le Salines, bem ao sul (falarei melhor das praias em outro post). Na parte norte da ilha há o vulcão Mt. Pelée, que entrou em erupção em 1902, deixando cinzas e destruição. Como consequência, até hoje as praias tem areia preta no entorno do vulcão.

O Mt. Pelée, o vulcão que acabou com St. Pierre - o ponto mais alta da Martinica e lugar para os mais aventureiros.

O Mt. Pelée, o vulcão que acabou com St. Pierre – o ponto mais alta da Martinica e lugar para os mais aventureiros.

O destino idílico caribenho é o sul da ilha. Pra quem, por exemplo, sair do sul da ilha pra conhecer o vulcão, vai levar 2h pra ir e 2h pra voltar, devido ao trânsito. Por isso, talvez você considere dormir uma ou duas noites no norte da ilha, pra explorá-la melhor.

Pro lado sul, são boas opções de hospedagem as cidades de Les Trois-Ilêts, Le Diamant, Les Anses-d’Arlet e St. Anne. Veja o seu estilo de viagem e o tipo de hospedagem que quer ficar. Lembre-se que alugar carro é essencial!

Se tiver sem carro, saiba que há um ferryboat que liga Fort-de-France à Anse-a-L’Ane, um vilarejo próximo à Les Trois-Ilêts.

Na praia de Anse-à-l'Ane há um ferry boat que liga Fort-de-France à região sul da Martinica.

Na praia de Anse-à-l’Ane há um ferry boat que liga Fort-de-France à região sul da Martinica.

“Inverno pra ela é pleno verão”

Embora a eterna marchinha de Emilinha Borba falasse que na Martinica o inverno é pleno verão, cuidado com o tempo! A região pode sofrer com furacões, na temporada que vai de agosto a novembro. Se puder, evite a temporada. Calor terá sempre.

A região tem nuvens esparsas na maior época do ano e uma constante briza que alivia o calorão. O que não pode é ter chuva, daí a importância de evitar os meses chuvosos, de junho a outubro!

A praia de Les Figuieres, no sul da Ilha da Martinica - o Caribe como você sempre sonhou!

A praia de Les Figuieres, no sul da Ilha da Martinica – o Caribe como você sempre sonhou!

Este post tem a finalidade de te ajudar a programar a viagem pela Ilha da Martinica e adiantar o que você deve encontrar por lá. A parte turística de La Martinique será coberta em outro post, exclusivo sobre o assunto.

Clique nos links abaixo para escolher o seu hotel na Martinica, separados por cidade:

  1. Les Trois-Ilêts;
  2. Les Anses-d’Arlets;
  3. Le Diamant;
  4. St. Anne;
  5. St. Pierre (norte da ilha).

E quanto a você, leitor viajante, não deixe de compartilhar suas dicas e histórias de viagens pelo mundo! Escreva para o Bilhete Premiado e deixe a sua marca!

Da janela do quarto, eu vejo o Caribe!

Da janela do quarto, eu vejo o Caribe!

Presquile delle Caravlle, um dos pontos à leste da Martinica - onde a ilha encontra o Atlântico.

Presquile delle Caravlle, um dos pontos à leste da Martinica – onde a ilha encontra o Atlântico.

A pacata praia de Anse Dufour, um segredo bem guardado pelos locais e pouco revelado aos turistas.

A pacata praia de Anse Dufour, um segredo bem guardado pelos locais e pouco revelado aos turistas.

Sombra, água fresca e uma bierre Lorraine, a cerveja produzida na Ilha da Martinica.

Sombra, água fresca e uma bierre Lorraine, a cerveja produzida na Ilha da Martinica.

Show Buttons
Hide Buttons
%d bloggers like this: