Sucre, a Cidade Branca das Américas!

Compartilhe!

Com uma lei municipal que obriga todas as casas do centro histórico a serem pintadas de branco pelo menos uma vez ao ano, Sucre conquistou o título de Cidade Branca das Américas – ela é toda branquinha mesmo, e não é aquele branco desgastado e sujo, é um branco renovado e vivo, bem diferente do que se vê pelo resto da Bolívia.

Pois bem, uma das primeiras coisas que você vai descobrir quando chegar a Sucre (e que todo mundo sempre fala) é que ela é a capital constitucional da Bolívia! Mas, e La Paz? Você se pergunta! La Paz acaba sendo a capital de fato, sede dos poderes executivo e legislativo. O judiciário é o único que está em Sucre.

Sucre, a Cidade Branca das Américas dá as boas vindas aos seus turistas!

Sucre, a Cidade Branca das Américas dá as boas vindas aos seus turistas!

E o que isso muda na sua vida? Em termos práticos, nada! Só serve pra informações gerais mesmo, mas é altamente repetido – e com certo ar de orgulho – pelos sureños. Ah, a independência da Bolívia foi declara em Sucre!

Então… voltando… Sucre é bem diferente do resto da Bolívia. A cidade, assim como Potosí, consegue manter um ar colonial espanhol, com arquitetura típica europeia bem distinta (além da cor branca). É fácil de ver, porque o estilo colonial está presente em toda a cidade. Aliás, os principais pontos turísticos já evocam essa arquitetura. Falando em pontos turísticos, vamos a eles!

O paredão do Parque Cretácico com as pegadas de dinossauros. O maior sítio arqueológico desse tipo do mundo está em Sucre.

O paredão do Parque Cretácico com as pegadas de dinossauros. O maior sítio arqueológico desse tipo do mundo está em Sucre.

O que fazer em Sucre

A maior parte das atrações está concentrada no Centro Histórico de Sucre, o local que dá a cor à Sucre! Felizmente, com uma boa caminhada, dá pra fazer tudo andando e em uma dia e meio, sem correria.

Fora do Centro Histórico está o Parque Cretácico. Explicaremos sobre ele logo mais!

No Centro Histórico de Sucre

  • Plaza 25 de Mayo. A praça principal é a Plaza 25 de Mayo e está bem no centro da cidade. Ali pertinho há boas opções de comer, apesar de algumas serem pega turistas. É sinal vivo da colonização espanhola, com construções dos séculos XVIII e XIX. Aqui foi declarada a independência da Bolívia. Não perca a visita ao Museo Casa de la Libertad.
  • El Patio Salteneria. Pertinho da Plaza 25 de Mayo está a El Patio Salteneria, de onde saem as empanadas mais famosas da Bolívia. Ah, um alerta! Elas são bem doces e vai açúcar na receita. Não vá imaginando comer uma empanada argentina ou chilena porque o saber é adocicado. Eles servem com colher pra tomar o molho! É outra pegada! Detalhe para o interior do edifício, super bacana.
O pôr-do-sol do alto da Recoleta, o melhor lugar de Sucre pra passar o fim de tarde.

O pôr-do-sol do alto da Recoleta, o melhor lugar de Sucre pra passar o fim de tarde.

  • La Recoleta. Localizada no alto de Sucre, talvez seja a praça mais simpática da cidade. É o local perfeito pra assistir ao pôr-do-sol e pra admirar um pouco da vida cultural de Sucre. Ali está o Monastério de la Recoleta, uma igreja bem simples mas cativante e o Café Gourmet Mirador, uma opção pra acompanhar o pôr-do-sol com alguma comida – mas atente-se, vale mais pelo ambiente e pela vista do que pela comida, ok? Não diga que não avisei! Vale a pena pedir uma cervejinha!
  • Calle de Santa Teresa. Meio sem graça, mas cheia de lendas é a rua Santa Teresa. Dizem que há cruzes feitas de ossos humanos lá! Há diversas lendas pouco realistas sobre o local e uma história que parece fazer sentido! Dizem que as igrejas de Sucre tem túneis conectando umas às outras e que foram utilizados durante a inquisição pra proteger indígenas. Fora isso, várias histórias de fantasmas rondam a rua. Vale mais ouvir as histórias dos locais do que efetivamente visitá-la!
A famosa Calle de Santa Teresa, em Sucre, dominada por lendas de fantasmas e outras histórias de assombrar.

A famosa Calle de Santa Teresa, em Sucre, dominada por lendas de fantasmas e outras histórias de assombrar.

Parque Cretácico

Curiosamente, é o local com o maior número de pegadas de dinossauros do mundo! Para as crianças, é uma ótima pedida! O passeio é simples e tem visita guiada (em espanhol), com passagens por réplicas de dinos ao longo do trajeto.

O ponto forte é a vista do paredão onde estão as pegadas. Não dá pra chegar perto, mas tem binóculo pra olhar! Confesso que não sou nenhum grande fã de Jurassic Park – e que achei a visita guiada bem razoável mas, apesar do paredão estar bem longe, achei muito curioso ter visto as pegadas dos dinos.

Pra quem viaja com crianças, a visita é quase obrigatória. Para os demais, é necessário avaliar se vale a pena ir ou não. Aos curiosos, destino certo!

O Parque Cretácico de Sucre é destino obrigatório para quem viaja com crianças.

O Parque Cretácico de Sucre é destino obrigatório para quem viaja com crianças.

Chegando ao Parque Cretácico

Pra chegar lá, basta pegar um táxi, que deve ficar em algo de 30 Bolivianos o trecho! Alternativamente, dá pra pegar um ônibus, daqueles acabados que tem na Bolívia! Vale a aventura e a experiência exótica! A passagem custa apenas 5 Bolivianos por pessoa!

O ônibus sai da Plaza 25 de Mayo e é o de número 4 ou de letra H, qualquer um desses. Passam a cada 5 minutos. O táxi, bom, dá pra pegar em qualquer lugar! Pra voltar tem vários à disposição!

Parque Cretácico Municipal FACESA
Aberto todos os dias
De segunda à sexta, das 9h às 20h
Aos sábados, das 10h às 20h
Aos domingos, das 10h às 17h

As pegadas na rocha do Parque Cretácico evidenciam traços dos gigantes que habitaram o nosso planeta.

As pegadas na rocha do Parque Cretácico evidenciam traços dos gigantes que habitaram o nosso planeta.

Quanto tempo ficar em Sucre?

Percebi que muitos turistas, principalmente europeus, vão a Sucre para estudar espanhol. É impressionante a quantidade de escolas para estrangeiro que existe na cidade. Se for esse o seu caso, planeje uma estadia maior e, claro, uma localização central. Mas se for o bom e velho viajante turistão, 1 ou 2 diárias são suficientes, incluindo aí o tempo para conhecer o Parque Cretácico.

Como chegar a Sucre

Sucre está no centro-sul da Bolívia, em uma região bastante central do país. As principais cidades ligadas a Sucre são Santa Cruz de la Sierra e Potosí. Vamos explicar como funciona as principais formas de transporte entre elas.

De/para Santa Cruz!

  1. A rota mais barata é de ônibus, mas nem sempre convém. São 483km e cerca de 12h de viagem, algo como viajar a 40km por hora! É muito devagar, o ônibus vai subindo e cortando montanhas e tem parte da estrada que não está asfaltada! Além disso, há boas chances de o ônibus quebrar ou encalhar… por isso nem sempre convém! A passagem é barata, custa entre 80 a 120 bolivianos (algo entre 12 e 18 dólares!) por trecho.
  2. De avião, logicamente, sai mais caro, mas a viagem dura rápidos 30 minutos! As companhias Amaszonas e BoA operam o trecho. Os preços variam, mas giram entre USD 50,00 e USD 80,00 por pessoa. Veja se cabe no orçamento. Se couber, pode apostar que é a melhor opção!

De/para Potosí!

  1. De ônibus, a viagem entre os Andes dura 4 horas e diversas companhias operam o trecho, com vários horários ao longo do dia. A passagem é barata, custa 30 bolivianos por pessoa. É seguro, mas fique esperto porque não há banheiro nesses ônibus, então segure as pontas! Toda a estrada é asfaltada!
  2. Não há avião que liga Sucre a Potosí, mas há uma opção mais rápida que o ônibus! É possível ir de táxi. O problema é que, viajando sozinho, vai precisar de mais 3 passageiros pra fechar viagem. Os hotéis costumam ajudar a encontrar passageiros, mas se não der certo, você corre o risco de ficar esperando achar gente pra seguir viagem. De toda a sorte, o trajeto de táxi dura 2h40. É bem mais rápido, razoavelmente seguro, mas pode ser chato dependendo dos outros passageiros! Reparei que pra pegar e deixar no hotel os taxistas cobram 50 bolivianos por pessoa, mas se for próximo à rodoviária eles cobram 40 bolivianos. Pense nessa alternativa quando for planejar o seu trajeto.
Avião da Boliviana de Aviación, o melhor meio de transporte entre Sucre e Santa Cruz.

Avião da Boliviana de Aviación, o melhor meio de transporte entre Sucre e Santa Cruz.

Sucre, overview!

De modo geral, Sucre acaba sendo um destino-escala na Bolívia. Apesar de ser carregada de história, não tem muitos atrativos capazes de chamar milhões de turistas.

É uma forma de chegar de avião desde Santa Cruz pra quem vai ao Salar de Uyuni e não quer pegar estrada. Acaba sendo também um pit-stop daqueles que querem conhecer Potosí e, principalmente, é uma parada estratégica pra quem quer se aclimatar ao mal de altitude (Sucre está na altura perfeita pra isso!).

Um ônibus típico da frota de Sucre - caindo aos pedaços, mas tem um ar turístico incontestável!

Um ônibus típico da frota de Sucre – caindo aos pedaços, mas tem um ar turístico incontestável!

Embora não seja o destino de muitos turistas, Sucre tem coisa a oferecer. Eu citaria o título de Cidade Branca das Américas e a visita ao Parque Cretácico, além de informações curiosas ao viajante distraído, como a capital constitucional da Bolívia ou o local da independência. Além disso, as empanadas mais famosas da Bolívia estão em Sucre.

Soma-se a isso o fato de que há muitos estudantes de espanhol em Sucre. Há diversas escolas de idiomas pra estrangeiros na cidade e uma vida noturna bem interessante. Destaque para o Kultur Berlin, que além de ser hostel tem cursos de espanhol, bar e balada com noites temáticas e outras festas que misturam gringos e locais.

Sucre é, enfim, uma cidade que cumpre muito mais do que ela promete!

Surpreenda-se! E aproveite!


Reserve aqui o seu hotel em Sucre.

Clique aqui para ler mais sobre a Bolívia.

E quanto a você, leitor viajante, não deixe de compartilhar suas dicas e histórias de viagens pelo mundo! Escreva para o Bilhete Premiado e deixe a sua marca!

Sucre, a capital da Bolívia é também a Cidade Branca das Américas.

Sucre, a capital da Bolívia é também a Cidade Branca das Américas.

Show Buttons
Hide Buttons
%d bloggers like this: