Tiwanaku e Puma Punko, a civilização anterior aos Incas!

Compartilhe!

Quem viaja à Bolívia e ao Peru vai cruzar com a história dos Incas, a civilização que habitou a região, construiu a Cidade Perdida de Machu Picchu e, infelizmente, foi dizimada pelos colonizadores espanhóis…

O que pouca gente sabe é que antes dos Incas outras civilizações já habitaram as Américas. Em Lima, a cultura Wari está representada pelo sítio arqueológico de Huaca Pucllana, que já trouxemos aqui no Bilhete Premiado!

Já nas proximidades de La Paz estão os sítios de Tiwanaku e de Puma Punko, pertencentes à civilização andina que muito provavelmente deu origem aos Incas.

Bem vindo a Tiwanaku, a civilização antiga mais alta do planeta, a 3.870 metros de altitude.

Bem vindo a Tiwanaku, a civilização antiga mais alta do planeta, a 3.870 metros de altitude.

Um pouco sobre Tiwanaku

A primeira observação é sobre a escrita, que tem diversas formas! Tiwanaku, Tiahuanaco ou Tiahuanacu. A forma não importa muito, mas é razoável saber que todas essas palavras se referem ao mesmo sítio arqueológico. Ah, a civilização Tiwanaku não tinha comunicação escrita!

Pois bem, vamos a outros fatos curiosos! Estima-se que o Império Tiwanaku tenha vivido seu auge entre 200 d.C. e 1.000 d.C.. Ele está situado no aquífero do Lago Titicaca, a uma altitude de 3.850 metros, o que faz dela a civilização mais alta do mundo antigo. Quanto à população, acredita-se que existiam algo entre 30 e 70 mil habitantes, em um raio de 5km do centro de Tiwanaku.

Abrangendo uma área do sul da Bolívia, norte do Chile e sudeste do Peru, os traços e os rituais dos Tiwanakus influenciaram a cultura Inca!

Uma das portas Tiwanacota reconstituída descansa em frente ao Museu Tiwanaku.

Uma das portas Tiwanacota reconstituída descansa em frente ao Museu Tiwanaku.

Como é a visita ao sítio de Tiwanaku

As visitas guiadas começam dentro do Museu Lítico de Tiwanaku, onde são apresentados restos mortais mumificados e crânios humanos, produtos agrícolas e as técnicas de agricultura e pesca utilizadas pelos Tiwanakus.

Logo depois, a visita segue para um dos pontos altos, o monólito de Benett, também conhecido como monólito Pachamama. É a maior estrutura encontrada em todo o sítio arqueológico e mede mais de 7 metros de altura! Atualmente está protegido de sol, de chuva e de vento, mas chegou a ficar 69 exposto no centro de La Paz, debaixo de grande poluição… infelizmente, não permitem tirar fotos! A explicação do que seria a figura e do que ela representa é muito interessante! Tem até apologia à coca!

A Pirâmide Akapana é o primeiro contato do viajante com as ruínas Tiwanaku.

A Pirâmide Akapana é o primeiro contato do viajante com as ruínas Tiwanaku.

Continuando, depois de ver o monólito a visita segue ao sítio arqueológico propriamente dito! São 3 pontos principais, a Pirâmide de Akapana, o templo subterrâneo e o Templo de Kalasasaya.

A Pirâmide de Akapana ainda não está totalmente revelada, mas é possível andar sobre a parte superior dela. O Templo Subterrâneo é muito curioso, porque tem estruturas de drenagem de água e, além disso, tem 175 cabeças em alto relevo nas paredes. Por fim, com o tamanho de um campo de futebol, o Templo de Kalasasaya é um observatório celestial capaz de prever as estações do ano pelo alinhamento de pedras com as posições de corpos celestes – ali estão os famosos Porta do Sol e Porta da Lua.

Saindo de Tiwanaku, há uma pausa pra almoço com pratos típicos do Altiplano boliviano, truta do Titicaca ou carne da lhama! Depois do almoço, a parte final da visita é o sítio arqueológico de Puma Punko.

O alinhamento entre o Templo Subterrâneo e a entrada do Templo de Kalasasaya.

O alinhamento entre o Templo Subterrâneo e a entrada do Templo de Kalasasaya.

Puma Punko

Puma Punko é uma região mais misteriosa que Tiwanaku – ainda não conseguiram estimar a idade dos resquícios! E as construções são todas milimetricamente medidas – sem contar que há uma plataforma de pedra que mede 25 km de extensão!

Ninguém consegue saber quais as técnicas utilizadas pra transportar e para moldar as pedras do local! Ah, e muito curioso… ali era o limite do Lago Titicaca há algumas centenas de anos, quando um terremoto acabou redesenhando a bacia hidrográfica do lago mais alto do mundo!

Existe muita informação sobre os sítios arqueológicos, mas pelo pouco que expliquei, dá pra ver que existem mais dúvidas do que certeza sobre Tiwanaku e Puma Punko! Estando em La Paz, é um programa certo pra quem curte turismo histórico!

As rochas de Puma Punko - como foram cortadas tão simetricamente e como foram transportadas?

As rochas de Puma Punko – como foram cortadas tão simetricamente e como foram transportadas?

Considerações sobre o passeio a Tiwanaku e Puma Punko

  • Na sua viagem entre a Bolívia e ao Peru, se possível, tente conhecer Tiwanaku antes de ir a Machu Picchu! Como é uma civilização bem antiga, Tiwanaku não tem o mesmo impacto visual de Machu Picchu. Pode te trazer um pouco de frustração, porque muita coisa ainda não foi escavada e o sítio arqueológico está praticamente em uma mesma planta, sendo bem mais simples que Machu Picchu.
  • Saiba que o passeio não é lá muito badalado, então se ruínas e história não for a sua praia, talvez seja melhor considerar fazer outra coisa. Pense no Chacaltaya ou na Estrada da Morte. Se curtir história e arqueologia, será um prato cheio e um ótimo dia!
  • Os passeios incluem almoço, mas recomendo levar lanche caso sinta fome e, claro, água!
  • Boné, protetor solar e roupas de frio são essenciais! O sol é forte, mas a altitude elevada combinada com algum vento pode te fazer sentir frio! Esteja preparado!
A Porta do Sol, uma estrutura única que foi rachada, provavelmente devido a um terremoto.

A Porta do Sol, uma estrutura única que foi rachada, provavelmente devido a um terremoto.

Como chegar à Tiwanaku

Dá pra ir por conta própria, mas não recomendo! O melhor é contratar uma agência! Até pra quem vai mochilar e tem o orçamento apertado, o investimento vale a pena. Na média, por apenas USD 30,00 por pessoa, as agências buscam no hotel, levam até lá, oferecem o tour guiado e um almoço incluído.

Acredito que vale muito a pena pagar agência. Do contrário, precisa pegar um transporte público da morte ou alugar carro, o que é um caos no meio de La Paz! Além do mais, chegando lá, vai precisar arrumar um guia pra fazer a visita.

Seja prático, USD 30,00 tá bem razoável pra um dia inteiro de passeio. Qualquer agência nas imediações da Calle Sagárnaga fazem o passeio pelos sítios arqueológicos de Tiwanaku e Puma Punko. Na dúvida, pergunte no hostel que eles devem indicar uma agência de viagens!

Para entrar ao sítio arqueológico é necessário pagar USD 10,00 por pessoa (bolivianos pagam 10,00 Pesos Bolivianos).

Cabeças no interior do Templo Subterrâneo - diversas formas intrigam os pesquisadores...

Cabeças no interior do Templo Subterrâneo – diversas formas intrigam os pesquisadores…

Reserve aqui o seu hotel em La Paz.

Para ler mais sobre a Bolívia, clique aqui.

E quanto a você, leitor viajante, não deixe de compartilhar suas dicas e histórias de viagens pelo mundo! Escreva para o Bilhete Premiado e deixe a sua marca!

A placa na entrada do sítio arqueológico dá um pequeno breefing sobre os Tiwanaku.

A placa na entrada do sítio arqueológico dá um pequeno breefing sobre os Tiwanaku.

A Pirâmide Akapana, um dos 3 principais pontos de Tiwanaku.

A Pirâmide Akapana, um dos 3 principais pontos de Tiwanaku.

Monólitos alinhados no Tempo Subterrâneo de Tiwanaku.

Monólitos alinhados no Tempo Subterrâneo de Tiwanaku.

A placa na entrada do sítio arqueológico dá um pequeno breefing sobre os Puma Punko.

A placa na entrada do sítio arqueológico dá um pequeno breefing sobre os Puma Punko.

Pedras no chão de Puma Punko - a cidade ficava às margens do Lago Titicaca.

Pedras no chão de Puma Punko – a cidade ficava às margens do Lago Titicaca.

Show Buttons
Hide Buttons
%d bloggers like this: